Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

TEXTOS EM PROSA

Textos pessoais em prosa, citações de livros, letras de músicas, vídeos especialmente de "dance- music", comentários a certo tipo de imprensa etc.

TEXTOS EM PROSA

Textos pessoais em prosa, citações de livros, letras de músicas, vídeos especialmente de "dance- music", comentários a certo tipo de imprensa etc.

O HOMEM POLÍTICO DIZ SEMPRE O QUE LHE CONVÉM E NÃO O QUE É CONFORME COM A REALIDADE!

Impunidade sempre houve no futebol português, camuflada, insinuada, mais intensa no regime anterior, mais esbatida no regime democrático... Mas nos dias que correm ela ergue-se arrogante, assume uma postura como nunca se vira: tem rosto e assinatura... A impunidade da CD da liga de clubes que viola a lei das escutas telefónicas; a impunidade da FPF que se escuda num documento populista sem qualquer valor jurídico e invoca o estatuto UTILIDADE PÚBLICA para sancionar a condenação ilegal de um presidente de clube, em cujo processo a única violação da lei comprovada é cometida pelo próprio orgão que julga e condena... À impunidade escondida dos mesmos de sempre junta-se a impunidade da associação a que pertencem...

A MATEMÁTICA!

As entidades competentes continuam a relacionar, falaciosamente, o péssimo desempenho dos portugueses na disciplina de matemática com  os métodos de ensino desta matéria.
A matemática, em si, é um conjunto de operações aritméticas, regras, axiomas, postulados etc., ou seja, tudo aquilo que é possível ensinar, e isso sabe a maioria dos alunos que obtêm maus resultados neste campo.
A dificuldade surge na resolução de problemas quer estes sejam cálculos matemáticos, quer sejam situações em que é necessário tomar decisões correctas, ou seja, tudo o que depende do raciocínio, e a capacidade de raciocinar com facilidade é um talento nato, à semelhança dos talentos para o canto, para a pintura, para a escrita etc.

O que se passa, hoje, no desporto nacional é a prova acabada  da incapacidade que os portugueses, em geral, têm para raciocinar bem:

Uma equipa, que há longos anos tem tido desempenhos medíocres em todas as competições em que tem participado, não vai inverter a situação com uma hipotética presença na liga dos campeões europeus;

Por outro lado, um clube, que há decadas tem vindo a alcançar êxitos notáveis em qualquer das provas em que participa, não vai perder o rumo se, eventualmente, ficar, um ano, fora das competições europeias;

Já a eventualidade de a equipa mais bem apetrechada para arrancar pontos para o "Ranking" da UEFA não participar nas competições desta organização irá, no futuro, não só reduzir o número de equipas portuguesas participantes, mas também as entradas directas nas provas  europeias.

Na resolução duma equação algébrica do 2º grau há duas raízes: uma serve à solução da equação a outra não. Os responsáveis do Benfica obtaram por esta última... 

LONGOS JEJUNS

Até hoje não vi nem tive conhecimento de que, nos jogos disputados pelo F. C. P., ocorresse alguma coisa que não ocorra em quaisquer jogos em qualquer país, excepto no Benfica - CUF, dirigido pelo árbitro Inocêncio Calabote, na última jornada de um dos parcos campeonatos que o F. C. P. venceu em cerca de 40 anos, período esse em que este clube foi o maior, pois que, num país pobre como Portugal, a verdadeira grandeza está nos longos jejuns, sejam eles azuis, vermelhos ou verdes, dos quais, aliás, o F. C. P. parece ter ficado enjoado... Após os 120 minutos de disparates do sr. Malquerença, vivo a pensar numa vitória no próximo jogo, para não lhe perdermos o hábito. Um pequeno descuido e, de um dia para o outro, já estamos num jejum de 3 ou 4 anos...

SERÁ CLUBITE?

Às vezes, a clubite leva-nos a deturpar a verdadeira essência das coisas. Então os prestigiados jornais de grande tiragem Record e A Bola dariam, todos os dias, destaques de primeira página a assuntos sobre o SLB e o SCP se estes dois clubes não pusessem acima de tudo o "fair-play" e a verdade desportiva e não fossem um exemplo a seguir pelos clubes de todo o mundo, excepto, claro, os grandes, porque esses não podem ser uns derrotados logo à partida? Não irei mais além do que continuar a ver a primeira página destes jornais, expostos na rua, que me entra pelos olhos dentro, o que é, não voltarei a indignar-me com os destaques, os quais, antes de esta reflexão profunda, me pareciam mesquinhos, promíscuos, subjectivos, irracionais, alienantes, catalisadores e aproveitadores da natural animosidade dos derrotados morais pelos vencedores principalmente inequívocos. E mesmo que assim não fosse? Se os que até pagam para ler não se importam que os tomem por tolos...

É CLARO COMO ÁGUA

Primeira página

O Benfica e o Sporting são como que crianças mimadas que tudo obtêm da imprensa desportiva sem qualquer esforço. Os outros têm de ganhar alguma coisa para conseguir umas migalhas de notoriedade da parte dos cabeçudos da imprensa desportiva: os resultados estão à vista ...
Parabéns ao "Record" e a "A bola".
Este F. C. do Porto dá-vos cabo da vida: com os eternos segundos cada vez mais segundos lá se deixam de vender uns bons milhares de "Record " e de "A Bola". Não admira que as razões comerciais se tenham tornado em ódio a um F. C. do Porto cada vez mais "vintage"...
Façam um jornalismo objectivo e daquí a meia dúzia de anos verão que, no fim de contas, não tinham necessidade nenhuma de envergonhar tão grosseiramente uma das mais nobres profissões que é o jornalismo!

PEDRO KHIMA

Este indivíduo canta melhor do que eu, mas o raio do rapaz faz lembrar um automóvel que só tem uma mudança: as músicas não têm aquele som característico da música pimba , lá isso é verdade, mas é sempre a mesma música, só muda o nome, tal como acontece com a música pimba ... 

Comentário



De Anónimo a 29 de Novembro de 2007 às 19:18
Nunca imaginei que de Lisboa moderna viessem palavras tão cheias de sentido e de beleza. Apesar de gostar de Lisboa, não gosto de Lisboetas...porém ao ler o seu blog verifico que ou a idade é um posto que nos permite apreciar a verdadeira beleza de pensamentos do outro só em nome da beleza ou ao ler as suas palavras alcancei um grau de evolução superior que me permite afirmar mais uma vez : Que bonitas palavras, que blog lindo, lindo, como só uma pequena e singela palavra pode descrever a pureza da beleza que nos legou ao partilhar os seus poemas e os seus textos com o anonimo!

Este é um comentário feito ao meu blogue principal "VERSOS RIMADOS" , o qual dedico aos animadores de rádio da RFM (grupo renascença), Joana Cruz e João Porto, que não conseguem ver o outro nem  quando este se lhes apresenta mesmo em frente do nariz...  

Valodia Teitelboim - A Semente na Areia

 (...) - Vocês, que são mais sábios que os sete sábios de Sião, peço que me digam: pode-se nascer aos trinta anos?
 - É uma advinha, uma brincadeira de crianças? - contra-interrogou Lorenzo, enervado. 
 - É uma pergunta que faço como companheiro - insistiu. - Uma pergunta que talvez devesse fazer à minha nãe. Direi como os evangelistas, porque em rapaz fui pastor protestante e alguma coisa me ficou disso: Senhor, vivia perdido num labirinto! Era cego! Todos os livros estavam fechados para mim como um mistério. Ninguém escrevera nada para mim. Não podia ler nada. Vivia metade, a quarta parte de vocês. Meu Deus, sentia-me fraco com este corpo de gigante, porque era um gigante analfabeto. E um gigante analfabeto vale menos do que um anão.(...) 

Pag.53, Editorial Caminho.

NAVEGAR À BOLINA

«Por que caminho é que seguimos? Será que sabemos para onde vamos? Na vida, para chegar a bom porto, não é possível navegar sempre à bolina. É preciso saber aonde o vento nos leva.»
Chamei a atenção da pessoa que escreveu este texto para o facto de que navegar à bolina não tem o sentido que a autora sugere, tornando-o por isso absurdo.
A animadora de rádio, a pessoa em questão, e um seu colega de profissão insinuaram que eu não sabia ler, ou seja, a menina não aceitou a ajuda que eu lhe prestei.
Vem isto a propósito da seguinte afirmação, lida, hoje, aos microfones da RFM , pela mesma pessoa:
« Só tem direito de criticar quem está disposto a ajudar»
Eu diria que só tem direito de criticar quem estiver disposto a ser criticado.